Federação Internacional Farmacêutica publica relatório dedicado à distribuição farmacêutica

A Federação Internacional Farmacêutica (FIP) publicou o relatório “Farmacêuticos na distribuição: O papel do especialista do medicamento na garantia da qualidade e acesso”, em que explica que as ineficiências na cadeia de distribuição são parcialmente responsáveis por uma parte substancial da população mundial continuar ainda sem acesso a medicamentos essenciais.

O documento apresenta um conjunto de desafios para o setor da distribuição, relacionados, por exemplo, com os medicamentos falsificados ou com a escassez de recursos humanos nesta área profissional.

"A necessidade de garantir o fornecimento eficaz e seguro de medicamentos levou a FIP a analisar o papel dos farmacêuticos na cadeia de distribuição farmacêutica. Este relatório tem como objetivo fornecer uma base a partir da qual a melhoria pode-se desenvolver”, disse o presidente do Grupo de Trabalho da FIP sobre Farmacêuticos na Cadeia de Distribuição, Ulf Janzon.

Este grupo efetuou pesquisas e revisões de dados bibliográficas sobre a cadeia de abastecimento de medicamentos, estudando também a realidade em nove países distintos, entre os quais Portugal, concluindo que os farmacêuticos têm os conhecimentos essenciais para manter a integridade no circuito do medicamento.

"O relatório reconhece diferentes níveis de maturidade dos sistemas de abastecimento, que podem ser usados ¿¿como base para a discussão, particularmente nos países em desenvolvimento. Não pretende descrever um único sistema-padrão, mas destacar que todos os sistemas devem garantir o fornecimento eficiente de medicamentos. Também chama a atenção para o efeito da globalização na cadeia de fornecimento, que envolve novos desafios para garantir a qualidade e quantidades apropriadas de medicamentos”, explicou ainda o responsável da FIP.

A organização sugere ainda maior investimento na educação e formação contínua para fortalecer o papel dos farmacêuticos neste ramo profissional.

21-05-2018